SOBRE IDAS E VINDAS: O FIM DO TERREIRÃO

fred

É que nada dura pra sempre. Menos o Galo. 

Meus amigos e irmãos de arquibancada,

Esse Galo danado nos deixou mal acostumados demais, hein? Três derrotas e já tem nego querendo incendiar a sede de Lourdes, como se a série B estivesse fungando novamente no nosso cangote. É muito desespero para quem há menos de um trimestre estava comemorando a quarta-feira do Goulart.

Enfim, esse post é por outro motivo.

É sobre uma decisão que eu já tinha tomado há algum tempo e estava protelando, mais por apego do que por outra coisa. Sabe aquela história de largar o osso? Pois é.

O nascimento da Carolzinha essa semana me fez colocar algumas idéias no lugar, organizar minha vida em escala de prioridade. Vi que, por mais que eu tente – tal qual uma mula teimosa – ficou difícil manter o Terreirão com a dedicação que ele merece. O fato é que não me sinto confortável em deixá-lo de lado e isso tem acontecido com frequência, já que o tempinho que eu tinha para administrar aquela parada toda agora é – e será cada vez mais – dedicado à minha pequena atleticana.

É por isso que tomei a decisão de dar lugar à outro torcedor maluco, que vai tratar aquele canhão da forma como ele merece. Se o cara tiver metade da moral que vocês sempre me deram, tenho certeza, já será feliz pra caramba.

Valeu por estarem comigo lá nesses 4 anos. Cada comentário foi precioso e eu sentirei falta disso. E sim, eu li todos eles. Fomos do inferno à glória juntos, vimos Ronaldinho jogar no nosso time, transformamos um goleiro em santo, levantamos grandes títulos. Eu tenho um orgulho danado de ter participado, mesmo que miseravelmente, dessa história.

É claro que isso não se fez sozinho. Aliás, nem toda grana do mundo pagaria a dedicação dos caras que estiveram ao meu lado nessa, principalmente nos perrengues. Porque é aquele negócio: escrever blog na boa é fácil demais. Complicado é buscar palavras bacanas quando a coisa fica feia, naquele momento em que você precisa motivar essa massa gigantesca, até quando você mesmo duvida um pouco. Meu mestre Munaier, a galera do Terreirão Cast, o Zeca, o Ragazzi, o Daniel, a Karine, o Lindson e tantos outros que doaram seu tempo à este projeto. Valeu demais, galera. De verdade.

É provável que eu não faça nenhum post de despedida lá no globoesporte. Melhor assim, porque eu sou péssimo em despedidas.

A gente se vê no estádio, qualquer dia desses.

Abração!

‪#‎GaloSempre‬

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *